Personalidade dos doutores

PERSONALIDADES DOS DOUTORES

A PERSONALIDADE DELES

 



  • 1º Doctor: Inicialmente uma figura pedante, desconfiada e que possuía um tom de superioridade, esta encarnação foi “amolecendo” com o tempo. Ele era brilhante. Completamente “cabeça dura” e marcante por seu “pavio curto”, aos poucos se tornou uma figura mais afável, sendo menos ríspido com seus companheiros e mais compreensível, mesmo que às vezes fosse sarcástico perante a ignorância alheia. Se tornava sempre uma figura protetora quando acompanhado de jovens garotas, pois essas lhe recordavam sua neta e primeira companheira de viagens, Susan Foreman.





  • 2º Doctor: Uma total mudança de personalidade: da figura de um avô para a de seu tio favorito. Caloroso, palhaço e trapalhão, este Doctor escondia sua imensa sagacidade, para que o subestimassem e assim, ele pudesse dar cabo aos seus planos. Por trás desta aparência displicente, sempre havia um raciocínio meticuloso nas ações deste Doctor. Ele era impiedoso com seus inimigos recorrentes, como os Cybermen. Sempre levava consigo uma flauta, que tocava ocasionalmente, e um diário de 500 anos no qual registrava suas aventuras. Durante quase toda esta encarnação, viajou com o escocês Jamie McCrimmon, fiel companheiro do século XIX.




  • 3º Doctor: Diferentemente de seus predecessores, este Doctor é um homem de ação e quando necessário, utilizava de suas habilidades em Aikido Venusiano. Ele permaneceu exilado na Terra durante boa parte de sua existência e, trabalhando para a UNIT, tinha o hábito de empregar sua mente brilhante em invenções, dentre as quais, seu querido carro, Bessie. Esta encarnação era mais “cavalheiresca” e, de certa forma, oposta ao segundo Doctor, o que acarreta desentendimentos entre os Doctors quando as duas encarnações do personagem se encontram. Inicialmente, o terceiro Doctor teve Liz Shaw como assistente, depois passou a se aventurar com sua companheira mais querida, Jo Grant, e perto de seu fim, levou Sarah Jane Smith à TARDIS.



  • 4º Doctor: Uma figura excêntrica, distinto de sua própria raça e nenhuma característica “humana” em si. Bem humorado, engraçado, este Doctor tinha uma personalidade mais jovem que a de seus predecessores. Em contraste com seu “ser” anterior, este não suportava trabalhar para a UNIT, e por isso, após ter o exílio encerado, manteve-se viajando quase que constantemente, ajudando a organização em poucas ocasiões. Um amante da paz, podia se tornar uma figura violenta e agressiva quando fosse necessário, sendo completamente oposto à ideia de figuras autoritárias em qualquer aspecto. É muito difícil vê-lo sem seu cachecol, em contrapartida, sempre está a oferecer “jelly babies” a todos. As companheiras que marcam sua existência são aquela que lhe viu regenerar, Sarah Jane Smith; a selvagem Leela e a Time Lady Romana.




  • 5º Doctor: Após uma regeneração difícil que por pouco não falhou, o Quinto Doctor se revelou como a encarnação mais humana e vulnerável do Doctor, abrindo-se mais com as suas companheiras e sendo extremamente contra violência desnecessária. Adorava cricket e ocasionalmente usava óculos quando examinava algo. Ao contrário de encarnações passadas, ele tratava todas suas companheiras como partes de um time, e não como meras ajudantes. Era menos pretensioso e egoísta, preferia resolver os problemas usando comunicação; e não gostava de usar sua vasta experiência como uma desculpa para liderar todas as situações. Viajou com três companheiros, Adric, Tegan e Nyssa, sendo a última a mais importante durante esse período.




  • 6º Doctor: Em contraste com sua última encarnação, o Sexto Doctor era arrogante, dramático, teimoso e tinha um grande ego, acreditando ser superior a todos que encontrava. Apesar disso, também possuia um lado mais emotivo e preocupado, sempre determinado em salvar todos aqueles que podia. Ele adorava uma citação, sempre soltando alguma que achava apropriada para a aventura em que ele e suas companheiras estavam. Era mais violento que seus antecessores, capaz até de matar. Passou a maior parte de suas viagens com apenas uma companheira.




  • 7º Doctor: Era um exímio estrategista e hábil manipulador, vendo a guerra entre o bem e o mal como um jogo de xadrez e aqueles ao seu redor como peões. Era originalmente excêntrico, alegre e despreocupado, porém assumiu essa personalidade mais séria e austera com o passar do tempo. Levava o seu papel como Time Lord extremamente a sério, e fazia tudo o que julgava necessário sem medir as consequências de suas ações. Apesar disso, ele se importava com aqueles com quem viajava, tendo uma relação paterna com Ace, sua companheira adolescente. Viajou também com Mel, que o acompanhou durante o início de sua encarnação.




  • 8º Doctor: Um tanto romântico e sensível, respeitava e amava todo o tipo de vida, admirando humanos como nenhum outro. Tinha um senso de humor irreverente, similar ao de sua segunda encarnação. Teve alguns ataques de amnésia, primeiro após a sua regeneração e, mais tarde, após a primeira destruição de Gallifrey. Passou sua vida viajando entre universos paralelos e paradoxos, e se envolveu na última Time War, entre sua raça e os Daleks. As circunstâncias que envolvem sua morte e regeneração permancem desconhecidas.




  • 9º Doctor: A última Time War, na qual lutou em sua oitava encarnação, deixou sequelas emocionais no Doctor, que se culpava por ter destruído a raça Dalek e sua própria. As feridas dessa guerra fizeram com que o Doctor criasse uma nova admiração pelas maravilhas do universo e um desejo de mantê-lo seguro, demonstrando uma enorme compaixão por todas as espécies; além de uma certa curiosidade pela humanidade. A maioria de suas aventuras foram no Planeta Terra, em compania a Rose Tyler, com quem criou uma forte conexão. Foi forçado ao se regenerar após absorver toda a energia do vórtex do tempo para salvar sua companheira.




  • 10º Doctor: Extremamente sagaz, carismático e entusiasmado, muitas vezes até um pouco metido. Durante essa encarnação, se apaixonou completamente por Rose, defendendo-a com todo(s) seu(s) coração(es), ficando extremamente irritado quando ela era colocada em perigo. Quando impulsionado por raiva ou justiça, agia sem hesitação, fazendo tudo o que julgava necessário, sem medir consequências. Como apontou uma de suas companheiras, Donna Noble, ele precisava de alguém ao seu lado para que não se deixasse levar por esses impulsos. Assim como sua quinta encarnação, tinha o hábito de usar óculos para “parecer mais esperto”. Ao contrário de muitos de seus antecessores, era extremamente amoroso com suas companhias.




  • 11º Doctor: Excêntrico, bem-humorado, otimista, entusiasmado e dono de um vestuário um tanto criativo e de muitas frases de efeito, o 11º Doctor exibe dois lados contrastantes de sua personalidade: muitas vezes, é bobo e engraçado, agindo como uma criança de quatro anos; e em outras, deixa transparecer toda a dor, raiva e sofrimento de seus 905 anos de vida. É extremamente autruísta, e está sempre disposto a se sacrificar para o bem do universo e de seus amigos, ficando enfurecido e desapontado quando falha em salvar alguém em perigo. Logo após a sua regeneração, conhece a pequena Amelia Pond, que se torna sua nova companhia 12 anos depois. Ele vive um intenso e confuso romance com a misteriosa River Song, quem sempre encontra na ordem errada.

Um comentário: